Elas foram construídas à beira de lagos tranquilos, projetadas por dois dos mais famosos artistas da atualidade e carregam toda a personalidade e estilo próprios dos gênios que a idealizaram. A primeira foi projetada pelo fabuloso arquiteto Max Strang e a outra mais recente, uma criação do arquiteto Maximiliano Eisenköck. Será que é essa uma característica dos grandes gênios da arquitetura, o amor ao bucólico e ao natural que se traduz no encanto de suas criações?

A Sofisticação de Strang

Lake House localizada em Winter Haven, Flórida, nos Estados Unidos

Sustentabilidade e estilo foram os ingredientes para a Casa do Lago do arquiteto Max Strang, um dos principais fundadores do escritório de arquitetura [STRANG] em Miami. Com um visual pós-modernista marcante, o charme da residência está em seu excesso de linhas retas e uso pontual de peças em aço inoxidável em seus diversos cômodos. Projetada em 2010 e ganhadora da certificação sustentável LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), a casa é uma amostra do potencial pós-modernista que Max Strang costuma empregar em seus projetos.

Na Casa do Lago, o profissional procurou resgatar os principais pontos fortes do movimento, que data da década de 80, e criou ambientes sofisticados, mas, ainda assim, com o conforto que remete ao lar.

Composta por quatro dormitórios, além do escritório, cozinha e sala de estar, a morada ganhou tons neutros destacados pelo design retilíneo e minimalista dos móveis que compõe a decoração.

Os detalhes em aço inox em zonas dos cômodos criam regiões destacadas e quebram ainda mais a monotonia que pode ocasionalmente ser provocada pelo uso de cores neutras e terrosas. O realce ficou evidente em peças como luminárias na sala e itens na cozinha e banheiro.

O Minimalismo de Eisenköck

Construída em 2015 por Maximiliano Eisenköck esta propriedade inspiradora está localizada no Lago Neufelder na Áustria Em um projeto de certa forma similar à Casa do Lago criada por Strang, o arquiteto austro Maximiliano Eisenköck desenvolveu também à beira do lago uma casa com traços pós-modernistas e minimalistas. Mas enquanto Strang prima pela amplidão de espaços e a profusão de cores frias, Eisenköck, optou pelo compacto, pelo retilíneo e pelas cores plúmbeas. A casa possui várias peças de aço em sua confecção. A medida garantiu simplicidade e delicadeza, sobretudo à cozinha.

A Elegância e durabilidade do aço presente na obra de dois maiores artistas do século

Utilizar peças chaves na decoração feitos em aço é apostar em requinte e durabilidade. Com a vantagem de utilização em qualquer cômodo da casa, incluindo sala e até mesmo banheiro, esse é um material que sobressai principalmente na cozinha. Essa foi a aposta de Strang na elaboração da Casa do Lago. Investindo numa cozinha discreta, o destaque fica para os detalhes e eletrodomésticos feitos em aço inox distribuídos por todo o ambiente. Propondo um visual ainda mais minimalista para seu projeto, Eisenköck administrou em sua cozinha e banheiro pequenos detalhes em aço inox que sobressaem diante a falta de mais cores e detalhes nos ambientes. Sua tática foi transformar itens essenciais em peças decorativas.

O banheiro foi seu alvo nesse processo. Itens importantes, como chuveiro e torneira, se tornaram pontos centrais no ambiente, e garantiram um charme especial para o banheiro sem investir em muito mais detalhes. Apesar de ter usado em menor escala, comparado à Eisenköck, a natureza do estilo minimalista esteve presente também no projeto de Max Strang. Produtos essenciais, tais quais os eletrodomésticos e luminárias, ganharam destaque como peças decorativas tanto na cozinha quanto na sala de estar. Isso permitiu que o cenário logo em frente à cozinha, com uma varanda defronte ao lago, ganhasse destaque com as amplas portas de vidro.

Beleza e sustentabilidade – Um casamento ideal

A sutileza do belo e elegante não precisa estar desvinculada da ecoeficiência, ainda mais na decoração. Ciente disso, Strang investiu em paredes de vidros e amplas janelas no seu projeto da Casa do Lago, além de tecnologias que garantem economia. A arquitetura da casa permite que ela seja largamente iluminada por uma confortável luz natural, sem, no entanto, incomodar os moradores com a incidência direta do sol. As disposições das janelas também proporcionam ventilação distribuída por todos os cômodos, com a circulação cruzada do ar. Outras medidas espalhadas no projeto disponibilizam uma experiência sustentável, ainda que sofisticada. O uso de lâmpadas LED – que prometem maior durabilidade e cerca de 80% de economia de energia – e painéis fotovoltaicos foram uma das medidas que deram à casa a certificação LEED. Sustentabilidade também foi um dos objetivos de Eisenköck, que utilizou em sua obra materiais baratos, mas, ainda assim, de alta qualidade. Tendo a madeira como material principal, isso deu maior liberdade para montar a casa abusando de formas geométricas. Mas as vastas estruturas de vidro ainda são o ponto chave da construção, e também dão à residência luminosidade natural, além de muito estilo. Um dos únicos materiais diferentes usados na construção, as janelas de aço ajudam também a estruturar a casa e dar um ar mais moderno a residência.

Ficha Técnica

Projeto 1

Nome da obra: Casa do Lago de Max Strang Arquitetos
Responsável: Max Strang
Ano do projeto 2010
Coordenador HVA- Joseph Strickler
Empreiteiro- Elétrico Robert Krieger
Estrutura- Douglas Wood Engineers
Engenharia de Instalações-Jose Martinez, P.E
Sistema Solar- Quick Beam Energy
Empreiteiro Geral- Alan Ulch Builders

Projeto 2

Casa do Lago | Maximiliano Eisenköck
Arquitetos -Maximilian Eisenköck
Área -171.0 m²
Ano do Projeto- 2015
Projeto Estrutural- Mathias Kronreif
Construção- Pfleger Building Company
Marcenaria -Holzbau Lottermoser
Vidros -Fuchs Glas-Technik GmbH